Outro pedaço foi embora. Ruben Corrêa.

Intenso nas certezas e nas incertezas e em todo o movimento entre a surpresa e a sorte, ou não.
No confronto e na comunhão. Experimentou a prática e não a teoria.
Tudo que ninguém elogia e nem vaia, porque ninguém sabe, ninguém vê.
O que gavetas abertas não são capazes de contar...
Era o sim, quando minha mãe dizia não (rs), foi afinidade em momentos de antipatia (rs), a brincadeira quando nem era hora (rs)...
Feliz dos que se vão com rugas, cabelo branco e com um sorriso de quem veio e fez.
VIVEU.
Um super avô, daqueles que faz seu prato preferido, corre pro médico, busca na escola, ajuda nos trabalhos e deveres, leva ao parque e ainda coloca pra dormir. Minhas filhas tiveram muita sorte já que perdi meu pai quando ainda era criança.
Sabemos que cada um tem o seu tempo, embora eu tivesse certeza que ainda não era a hora e ele soubesse que sim...
Uma pergunta ficou sem resposta. Porque exatamente no mesmo dia que a minha mãe? (Shakespeare, tinha razão...)

Um grande beijo, que os anjos te guiem e você encontre a luz. Siga em paz.
Agradeço por tudo, e se não for pedir muito, dê um beijo na minha mãe por mim.
Sinceramente,
Vânia Pôrto

Um bom final de semana pra vocês.
Bjks!
1 Response
  1. Este comentário foi removido pelo autor.